Sem sinal…

Agosto veio e se foi. Não vi piadas sobre como agosto é o mês que nunca acaba. Acabou. Começa Setembro, e o ano segue nesse estranho marasmo auto exilado, desconfiado, reflexivo.

Não recebi novas submissões, recebi muito poucas no início do projeto, depois não mais. Mesmo oferecendo um pagamento, por mais singelo que fosse.

Agosto não foi inspirador, foi ótimo, cheio de trabalhos, desafios, acontecimentos, mas pouco literário. Por isso essa edição de setembro será especial, silenciosa, fantasma.

Boa leitura 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *